quinta-feira, 11 de outubro de 2012

Ao prefeito eleito de Aracati, Ivan Silvério.


O Aracati vive atualmente um momento ímpar em sua história. Após um processo   eleitoral que deixou os ânimos à flor da pele, os munícipes elegeram como seu prefeito a partir de janeiro de 2013 o contabilista Ivan Silvério (PDT-12), com ampla margem de diferença em relação ao candidato que ficou em segundo lugar, Ricardo Sales (PTB-40). 

São muitos os desafios que terá de enfrentar pela frente. Se desejar não ter a mesma impopularidade do Sr. Expedito Ferreira daqui à quatro anos quando submeter novamente o seu nome à reeleição, deverá agir com firmeza já no primeiro dia de administração. Terá de desagradar a muitos interesses e restituir os princípios deLegalidade, Impessoalidade, Moralidade, Publicidade e Eficiência - LIMPE,doa a quem doerIsso se configurará, se for aplicado, em um verdadeiro "choque de gestão", que fatalmente irá "eletrocutar" quem tiver interesses escusos na prefeitura. Deverá dizer não à muitas coisas e à muitas pessoas.

Ivan não deverá ser prefeito apenas dos mais de 60% dos eleitores que nele confiaram um voto de esperança. Será também prefeito dos demais aracatienses que nele não votaram. Isonomia. A máquina pública tem que deixar de ser cabide de empregos para cabos eleitorais de vereadores e seus apaniguados políticos. A melhor forma de começar com o pé direito uma nova Era em nossa terra é a realização de concurso público, para dar um caráter qualitativo ao seu governo, com procedimentos rigorosos e transparentes para admissão de novos servidores, evitando a necessidade de se recorrer à contratos temporários que tanto pesam nos balancetes orçamentários. E além do mais, se dará oportunidades iguais a todos.

No primeiro ano de gestão, terá de calibrar seu governo, varrer a sujeira que está por debaixo de tapetes, reaparelhar os órgãos administrativos e informatizá-los, criar mecanismos de fiscalização e  controle governamental, para que os serviços públicos ofertados pela prefeitura sejam bem avaliados pela população, além de definir um código de conduta para os servidores. 

No tocante ao sistema de saúde, há a necessidade de urgentes intervenções: aumentar o número de médicos e equipes de PSF's, além de reestruturar e reaparelhar os hospitais públicos, como o HMED. 

Na educação, as escolas que compõem o sistema de ensino necessitam de amplas reformas estruturais,  além de profissionais devidamente qualificados.

Na infra-estrutura, há inúmeros gargalos: Ruas esburacadas, lixo se avolumando em encostas de muros, construções irregulares desobedecendo códigos de postura e edificação, estabelecimentos comerciais se apropriando de calçadas e limitando o tráfego de pedestres, obrigando-os por vezes a disputarem espaços com veículos, o que oferece a eles iminente risco de acidentes, além do precário acessos às comunidades rurais e distritos do município.

Na Cultura, deve-se resgatar o brilho dos históricos carnavais que alegraram os citadinos e os que para cá se dirigem para prestigiar a Grande Folia. A Banda Municipal deve ser reaparelhada para voltar a ilustrar os eventos festivos. Necessitamos de um Teatro Municipal, para fomentar a criação de novos talentos artísticos. Nosso patrimônio histórico deve ser estudado e preservado. Por que não se criar um fundo para o financiamento de publicações de cunho literário, histórico ou científico de autores aracatienses?

Enfim, pode parecer que o que escrevi aqui seja utopia. Mas são elas que devem mover as nossas ações. E é a intensidade de nossas ações que as tornam em realidade. Desejamos um novo recomeço para a Terra de Dragão do Mar. 
Que os ventos jaguaribanos soprem bonança. 
Que as nuvens de apatia e tristeza que nos tolheram o direito de sonhar sejam levadas para bem longe. Que a população seja um agente fiscalizador dos que a representam no Legislativo.
Que Ivan não nos decepcione.

Caio Ferreira Rocha.
Professor.